Growth Hacking
Social 3 min de leitura

Growth Hacking: o que é e como usá-lo

Statusbrew helps you unlock the power of social media to connect with people who matter

Growth Hacking

Na ausência de grandes orçamentos e experimentados equipes de marketing, certas startups quebraram o mistério de como fazer que as pessoas usem seu serviço / produto naquele momento. Como eles fizeram isso? Growth Hacking!

Repensar o marketing desde o início é como isso pode ser chamado. É um termo que surgiu há 7 anos e, desde então, essas duas palavras nos fizeram repensar toda a nossa abordagem de marketing porque não é marketing, bem, não puramente.

Uma definição disso seria: uma técnica criativa e eficiente para obter usuários mais e mais significativos de um determinado segmento do mercado ao invés de segmentar todos.

Ao contrário do marketing tradicional, o Growth Hacking envolve a segmentação de um grupo particular de pessoas. Produz resultados melhores e mais rápidos do que o marketing. O objetivo final é o mesmo, mas a abordagem é diferente.

É importante entender que o Growth Hacking não é uma série de etapas, mas uma mentalidade. Não é uma estratégia de copiar e colar porque todas as empresas e start-up tem um conjunto diferente de valores que se relacionam com um nicho diferente de usuários / clientes. O Growth Hacking depende da criatividade de uma pessoa e de uma perspectiva única.

Existem diferentes etapas na vida útil dos usuários que utilizam um serviço / produto. Estes são consciência, motivação e compra. Somente conseguir pessoas que usem seu produto não è o plano completo. A criação de uma comunidade de usuários ao longo da vida e leal é o objetivo. Então, é por isso que cada Growth Hacking tem que atender ao usuário em todos os três estágios.

Embora o Growth Hacking não seja uma série de etapas, existem 4 estágios generalizados que todo Growth Hacker precisa prestar atenção. Cada estágio tem uma estratégia diferente e um nicho diferente de usuários. Estas são as 4 etapas e alguns exemplos para ir com eles.

1. Criando o produto

Isso é algo que é muito auto-explicativo. Até que você não resolva o problema de alguém, as pessoas não terão necessidade de usar seu produto / serviço. Esta é uma base muito do empreendedorismo. As coisas não terminam aqui, você começa com o chamado PMV (Produto Mínimo Viável) ou um AMP (Ajuste do Mercado de Produtos). Você precisa fazer um serviço básico que atenda às necessidades das pessoas, algo escalável. Isso o ajudará a entender que mais olha um usuário de seu serviço. O feedback constante é a chave e classificar esse feedback e implementar as novas soluções de forma efetiva é ainda mais importante.

Aquele que começou tudo foi Hotmail. Quando os fundadores de Hotmail olhavam uma solução sobre como comercializar o serviço de e-mail gratuito baseado na web, pouco eles sabiam que apenas uma linha aumentaria sua base de usuários para 1 milhão de usuários em 6 meses. Ao invés de soprar seu orçamento de mercado, as pessoas no Hotmail apenas incluíram um link: 'Obter seu e-mail gratuito no Hotmail', o que direcionaria os usuários para uma página que os deixaria se inscreverem no serviço gratuitamente. Se 6 meses parecerem muito longos, eles tiveram 20 mil novos usuários no primeiro mês. Como você sabe que funcionou? O Hotmail foi adquirido pela Microsoft.

Hotmail Growth Hacking

Statusbrew também fez algo muito engenhoso. Apresentamos estatísticas interessantes para os usuários que estarão felizes em compartilhar. Quando eles compartilharam essas estatísticas, as pessoas podem ver que eles fizeram isso "via-Statusbrew". Isso criou um zumbido e as pessoas vieram conhecer a excelente lista de recursos de automação do Twitter que fornecemos. Nossa base de usuários cresceu mais de 150% nos próximos 3 meses.

Instagram é outro exemplo desse tipo. Eles giraram de ser apenas um serviço de check-in para fazer postar fotos com filtros como sua principal característica. O feedback foi realizado e percebeu que as pessoas usavam amplamente suas funcionalidades para publicar imagens. É o que a base de usuários deles parecia nos meses seguintes.

Crescimento do Instagram

Se você examinar de perto esses casos, eles têm uma coisa em comum. Eles tinham marketing incorporada em seu produto. Eles tinham pouca necessidade de anunciar sobre seu serviço. Esta é uma etapa muito crucial para implementar um Growth Hack porque isso irá filtrar seus usuários significativos e espalhar o boca a boca, para que você possa ter um feedback que vale a pena.

Agora que você tem a atenção do seu público, fazer com que eles usem seu serviço é o próximo passo.

2. Envolvendo o usuário: encontre seu Growth Hack

Entender quem usa seu produto e como eles o usam, é o que o ajudará aqui. Você faz isso, novamente, fazendo comentários. Veja quem está usando seu serviço. Desenvolva seu usuário, imagine como eles usarão seu serviço e atenderão às suas necessidades.

O primeiro dos Growth Hack de Sean foi com Dropbox. Dropbox foi uma ótima ferramenta, mas como fazer com que as pessoas a usarem? Foi aqui que Sean trouxe seu gênio.

Sean sabia que seu alvo era um geek de 22 anos que tinha muitos dados para armazenar, mas ele não podia carregar seu computador em todos os lugares com ele. Ele queria dizer a eles como usar seu serviço.

Primeiro, ele ajudou a fazer um vídeo sobre como usar o serviço. Este vídeo fez maravilhas para eles. Eles tiveram muitas piadas internas que, apenas digamos, apenas os "geeks" entenderam. Isso segmentou seu público. Eles só tinham pessoas que queriam usar o serviço.

Obter um grande número de usuários é bom, mas ter um número elevado de usuários ativos é ainda melhor. Sean foi um passo adiante, ele implementou uma estratégia que permitiria aos usuários obter mais espaço de armazenamento gratuito, se eles enviassem um feedback detalhado ao suporte ao cliente.

Eles tinham seu público-alvo usando seu serviço. Este foi especificamente o objetivo deles. Eles dominavam o mercado que eles planejavam dominar.

Crescimento do Dropbox

Esta era uma maneira de permitir que os usuários interagissem com o produto. Desde então, os tutoriais do usuário surgiram. Vídeos e blogs que ajudariam o usuário a se envolver com o aplicativo. O objetivo principal aqui para um growth hacker é ajudar o usuário a se envolver com o produto / serviço. Deve ser feito de uma forma que não pareça spam e atrai apenas os usuários que você deseja. Este foi apenas o exemplo do Dropbox. Há muitos outros serviços que usaram esse hack e conseguiram muitos usuários, mas uma coisa a prestar atenção é que cada growth hack não funciona para todos. Cada produto fornece valor ao usuário de forma diferente e, portanto, precisa de seu próprio growth hack.

3. Ser VIRAL

Como Justin Timberlake disse em 'The Social Network', "Um milhão de dólares não é legal, você sabe o que é legal, um bilhão de dólares!". Todo mundo adora muito tráfego para o seu serviço, mas para isso você precisa tornar-se viral. Ser viral tem muito pouco a ver com a sorte. É toda uma estratégia que um growth hacker produz em sua mente.

Viralidade é um conceito muito mal interpretado. Contrariamente à crença popular, isso não significa apenas que todos gostariam do seu produto. Isso significa apenas que você modifica sua estratégia para o mesmo segmento de usuário, mas em um mercado maior, onde você encontrará mais usuários potenciais de toda a vida.

Neste mercado maior, seu potencial cliente está conectado a outros clientes potenciais. Então, quando um usuário comparte algo sobre seu serviço, toda a sua comunidade vê e é isso o que motiva as pessoas a usar ou simplesmente tentar seu serviço. O elemento em virar viral que é de suma importância é o fato de que tudo o que você produzir deve fornecer valor ao usuário e valer a pena compartir.

Vamos tirar outro exemplo do Dropbox. Dropbox deu mais espaço de armazenamento aos usuários que encaminharam seus amigos para a plataforma. O que isso fez foi que o usuário obteve valor em termos de espaço de armazenamento e o referido amigo conheceu uma ótima ferramenta. Eles geraram links de referência e monitorar o número de clique que eles obtiveram em um link. Foi assim que eles mediram que sua brilhante idéia realmente funcionou.

O segundo site mais visualizado do mundo, YouTube, estabeleceu outro exemplo. Todo mundo adora ver um vídeo e youtube fez o compartilhamento de vídeo extremamente fácil, permitindo que você incorpore vídeos em seus sites e plataformas de redes sociais. Você pode compartir incorporar ou enviar esse vídeo como um e-mail. Isso tornou o site extremamente popular porque as pessoas viram vídeos no YouTube em plataformas populares de redes sociais. Isso fez do YouTube o gigante do compartilhamento de vídeos que é hoje.

PayPal deu aos usuários $20 depois que se inscreveram. Isso criou uma estampa de pessoas que queriam inscrever-se. O PayPal entrou em uma enorme perda, mas eles sabiam que seu produto seria um sucesso. Após sua integração com ebay, eles geraram a receita que perderam e fizeram ainda mais no mesmo ano. Eles conseguiram usuários que se inscreveram e quando eles estabeleceram sua presença, eles conseguiram que as pessoas usassem seu serviço e que gerassem suas receitas.

Adicionar valor ao usuário é algo que ele espera de você, se ele o está ajudando de uma forma ou de outra. Isso é suficiente para ajudar ao usuário a compartir sobre você porque ele será feliz. O que é importante aqui é ver que você tem uma estratégia para um mercado maior. Você terá mais diversificação de usuários. Você deve chamar a atenção dos usuários nas plataformas que eles estão usando.

Se seus usuários estiverem felizes, certifique-se de mantê-los felizes. De isso se trata a próxima etapa.

4. Retenção

Depois de ter todas as pessoas que você precisa, a única coisa que você precisa fazer é mantê-las felizes. Isso é algo em que cada negócio e startup devem concentrar-se. Fazer comentários e continuar constantemente a melhora de seu produto é o que faz o truque. Após cada feedback, o importante é o acompanhamento. Isso ajuda ao cliente saber que você realmente se importa com eles. No final, você sempre quer uma comunidade de usuários felizes e leais.

Por que isso é mesmo importante se você pode conseguir novos usuários? Como as pesquisas mostram que um cliente existente é 55% mais confiável e provavelmente comprará sua nova atualização do que um novo usuário.

Twitter, como sabemos, é uma plataforma líder de microblogging no mundo, mas mesmo eles tiveram dificuldade em manter os usuários. Naquela época, quando as pessoas se inscreveram, muito poucos sabiam o que fazer com a plataforma. O número de usuários ativos caiu e isso foi algo que o Twitter não queria. Eles notaram que muitos de seus novos usuários tinham um problema em entender como usar seu serviço. Então, saia dessa situação, o que o Twitter fez, é que eles basicamente caminharam com cada novo usuário, que acabarem de inscrever-se, através do básico de usar sua plataforma. Isso ajudou o Twitter a manter o usuário e tornar-se o que é hoje.

Usuários ativos de Twitter

O truque nesta parte é ver qual é a razão pela qual os usuários estão optando por não usar seu serviço, mesmo depois de inscrever-se. Crie uma estratégia para combater esse problema e, em seguida, monitore seu progresso e veja se ele funciona.

À medida que um negócio difere, os valores diferem, os clientes diferem, os hacks diferem e, em última instância, esse processo difere.

Em todas as etapas, você verá que o progresso de todos esses hacks foi mensurável. Isso é algo que deve estar constantemente na mente do growth hacker. Se não é quantificável, não tem sentido. Estatísticas vagas significam que não houve progresso. Todo growth hack mencionado acima tinha um progresso que era mensurável e poderia ser trabalhado. Esta foi à base sobre a qual as empresas monitoram o progresso deles.

Otimizar sua estratégia com essas estatísticas ajudará a monitorar o crescimento. Este é o mantra que todo growth hacker tem que seguir. 'Pesquisa, Execute, otimize e repita'.

Se houver um growth hack que funcionou para você, por que não compartilhá-lo nos comentários abaixo.